segunda-feira, 9 de abril de 2012

Holzweg Cervejaria - Cervejas com Notas de Café




 

Diferente do que muitos pensam, não é adicionado café na cerveja para se ter sabor ou notas do produto. Esse sabor vem principalmente da torrefação do malte, que acontece ainda na malteação do grão. Antes de se misturar a cevada com a água para fazer a bebida, é necessário que ela seja transformada em malte, ou seja, que passe pelo processo de germinação e secagem dos grãos que faz com que o cereal libere açúcares e enzimas essenciais para o processo de fermentação. Sem isso, a mágica não acontece.
É justamente a intensidade dessa secagem que vai determinar se o malte vai ficar claro (secagem em temperaturas mais baixas) ou mais escuro (mais altas), gerando a torrefação do grão. E isso interfere diretamente no sabor da cerveja.
Maltes que são somente secos dão origem a cervejas mais claras, com sabor de biscoito ou panificação. Os tostados podem fazer cervejas avermelhadas, que lembram caramelo, muitas vezes. Já os mais torrados fazem cervejas escuras, que podem ter notas que lembram chocolate e café. Não é nem preciso lembrar que o café também passa por um longo processo de beneficiamento do grão, que também envolve secagem e torrefação.
Na prática, esse sabor pode ser encontrado tanto em estilos de cerveja de baixa fermentação (Lagers) quanto de alta fermentação (Ales). Schwarzbiers, Porters e algumas variações de Stouts trazem notas mais intensas, pela maior presença do malte torrado. Aqui na Holzweg, um bom exemplo de cerveja com notas de café é a Munich, servida durante o período de inverno.

0 comentários:

Postar um comentário