segunda-feira, 27 de janeiro de 2014

Rota das Cervejarias Artesanais tem 14 pontos de parada em SC/G1


Um dos itens mais tradicionais da gastronomia alemã é a cerveja artesanal. Em Santa Catarina há 14 cervejarias que produzem a bebida nas cidades de Joinville, Blumenau, Indaial, Gaspar, Lontras, Forquilhinha, Santo Amaro da Imperatriz, Timbó, Brusque, Pomerode, Jaraguá do Sul e Guabiruba, maioria no Vale do Itajaí e Norte de Santa Catarina.

A tradição germânica em Santa Catarina também é percebida na Oktoberfest, festa que há 30 anos busca manter o folclore e a memória alemã em Blumenau. Durante o evento é possível conhecer chopes de algumas das cervejarias da região.

Licor de cerveja
A cervejaria Eisenbahn, localizada em Blumenau, produz um licor feito de cerveja. A Lust é feita pelo método champenoise, que consiste em fechar as garrafas de cerveja com rolhas e fazer a fermentação dentro da garrafa. Segundo informações passadas pela empresa, o método para a produção de cervejas não tem mais que 10 anos de utilização, sendo que a primeira cervejaria fora da Bélgica a utilizar esse método foi a Eisenbahn. Desde 2007, a cervejaria já ganhou diversos prêmios internacionais pela qualidade do produto. A fábrica, localizada ao lado de uma antiga linha de trem em Blumenau, serviu de inspiração: eisenbahn em alemão significa ferrovia.

Tradição
A cervejaria Holzweg, em Lontras, aposta nos ingredientes exigidos na Lei de Pureza Alemã. A lei, promulgada na Baviera em 1516, regulamenta que a cerveja pode conter somente três ingredientes: malte, lúpulo e água. Considerada como uma das mais antigas regulamentações de defesa do consumidor, a regra protegia os compradores de que a cerveja comprada não teria nenhum outro aditivo ou componente exótico. A cervejaria produz dois tipos de cerveja: a tipo Pilsen, leve e dourada e a Munich, escura, mais encorpada e ideal para dias mais frios.

No Sul
A Saint Bier, localizada na cidade mais alemã do Sul do estado, Forquilhinha, produz também para mais duas empresas: a Cerveja Coruja e Duff do Brasil. Por também seguir a Lei de Pureza, todas as cervejas contém o mesmo composto, ficando as principais diferenças na quantidade utilizada de cada produto e nas temperaturas a que as cervejas são submetidas durante o processo de fabricação. “Qualquer grama a mais de algum componente ou alteração de temperatura pode mudar a receita”, enfatiza o sócio da Cervejaria, Isael Coelho Paes.

Dicas para consumo
O beer sommelier e gerente de produção Leandro Schmitt, da Das Bier Cervejaria, localizada em Gaspar, apresenta alguns critérios de avaliação e dá dicas de como consumir a bebida durante os dias mais quentes. Para consumo no verão, o tipo Pilsen é um dos preferidos para esta época do ano, pois é considerado mais leve. "Como ele tem baixa fermentação, isso torna a degustação ainda mais saborosa. Outro chope ideal para a estação é o Weizen (trigo), pois é cremoso, turvo, possui traços de cravo e notas frutadas, que proporcionam uma sensação refrescante", explica Leandro.

Já a temperatura depende do tipo da bebida, conforme esclarece o sommelier. "Os chopes mais leves devem ser servidos com temperatura de 2º a 7º, como os tipos Pilsen e Weizen. Já as bebidas que possuem alta fermentação, devem ser consumidas com temperatura de 10º a 13º", comenta.

Segundo o gerente, independente do tipo de chope, ele deve ser consumido na temperatura adequada. "Se for servido estupidamente gelado, amortece as papilas gustativas e inibe aromas e sabores", diz Leandro.

fonte: http://zip.net/bpmdr4 / G1


0 comentários:

Postar um comentário