quinta-feira, 13 de novembro de 2014

Diferenças entre o chope e a cerveja


A cerveja de garrafa e o chope são como irmãos gêmeos separados ao nascer. As duas bebidas, de uma marca específica, são originadas do mesmo barril e têm os mesmos componentes. No entanto, a cerveja extraída para o engarrafamento passa pela pasteurização – processo em que o líquido é aquecido a 60°C e depois resfriado – para a eliminação de todos os micro-organismos; já alguns chopes não. “Chamamos de cerveja viva”, disse o cervejólogo Guilherme Baldin sobre o chope. Segundo ele, o chope é servido direto do barril, com as leveduras e substâncias criadas no processo de fermentação.

 
Sabor

Embora compartilhem dos mesmos ingredientes, não dá para negar a diferença do sabor de um chope e de um copo de cerveja. "O chope sai mais cremoso, por causa da pressão da máquina", ressaltou o cervejólogo Guilherme Baldin. A bebida tirada direto da máquina, quando não é pasteurizada, também ganha no aroma e no sabor do malte, segundo Baldin. Mas, para saborear esta diferença de paladar, o cliente terá que encontrar um bar que venda chope sem a marca das grandes cervejarias, que já pasteurizam os chopes distribuídos.
"O que acontece com as cervejas de garrafa é que elas perdem substâncias da fermentação, como o malte e lúpulo", explicou o sommelier e cervejeiro Alexandre Bazzo. "A cerveja de trigo, tem o aroma de banana e cravo diminuídos quando é engarrafada", exemplificou. “A pasteurização mata as leveduras, bactérias e microrganismos da bebida, porém, com o aquecimento outros componentes também se desprendem da cerveja”, explicou Bazzo.

Refrescância e leveza

Os ingredientes são os mesmos e não existe diferença entre degustar um copo de chope e um de cerveja da marca de uma grande cervejaria, em que ambos são pasteurizados. No entanto, ao primeiro gole do chope, a sensação é mais refrescante do que a proporcionada pela cerveja. Além do mais, uma pessoa que tenha bebido a mesma quantidade de copos de cerveja de que uma que preferiu o chope, por vezes, terá uma sensação mais cheia e pesada.
Não se trata apenas de uma impressão. “A máquina do chope tem CO2 ou nitrogênio para pressionar e jogar o chope para fora. Quando o chope é aerado, o gás se incorpora à bebida e ele desce mais fácil, dá a sensação de mais leve”, explicou o cervejólogo Guilherme Baldin. O efeito de mais frescor também é autoria do gás que impulsiona a bebida para fora. “O chope nitrogenado é ainda mais leve e refrescante”, disse o beer sommelier e cervejólogo Rodrigo Lemos.

Socialização

Para o cervejólogo Guilherme Baldin, “sentar em um bar para tomar um chope com os amigos é tradição, muito mais do que uma cerveja”. Ele considera o chope, por não ser uma bebida que a pessoa compra e leva para casa, mais sociável.
O beer sommelier Rodrigo Lemos também é da opinião que existem momentos para se tomar uma cerveja e os propícios a saborear um chope. As cervejas podem ser consumidas em casa sem companhia ou nos bares entre os amigos. Já o chope, na maioria das vezes, só pode ser apreciado em estabelecimentos, de preferência, com companhia. 

Fonte/Imagem: terra.com.br/cerveja-x-chope