quarta-feira, 21 de janeiro de 2015

Produção de cerveja artesanal em Santa Catarina valoriza tradição alemã




A tradição cervejeira veio para Santa Catarina ainda na época da colonização, em meados do século XIX. Não é à toa que nos municípios de colonização predominantemente germânica há diversas fábricas e cervejarias artesanais. A tradição da cerveja artesanal em Santa Catarina inspirou, inclusive, a criação da Rota das Cervejarias Artesanais, que conta com 14 pontos de parada em cidades do Vale, Norte e Sul do estado. Em geral, as cervejarias artesanais são criadas em estruturas familiares e se sustentam com a criação e desenvolvimento de estilos e receitas próprias.

Nos municípios do Vale Europeu, como Blumenau, Lontras, Brusque, Gaspar, Pomerode e Timbó; do Vale do Contestado, como Canoinhas e Treze Tilhas; e do Caminhos dos Príncipes, como Jaraguá do Sul e Joinville, é possível conhecer de perto o processo de produção da cerveja artesanal e experimentar diversas versões da bebida.


Muitos destes estabelecimentos, como a Holzweg, seguem a Reinheitsgebot (Lei Alemã da Pureza, de 1516), que limita os ingredientes da cerveja à água, lúpulo, malte (de cevada ou trigo) e fermento (levedura). A Lei, que ainda proíbe o uso de conservantes ou cereais não maltados, é seguida pela cervejaria localizada em Lontras, tanto para a produção da cerveja Pilsen, como da Weizen e da Munich.

Além de Santa Catarina Catarina, também é possível vivenciar a cultura alemã por meio do consumo de cervejas artesanais nos estados do Rio de Janeiro, Minas Gerais, Paraná, São Paulo, entre outros. Ou seja, trata-se de um mercado ainda em ascensão, baseado no prazer de consumir e produzir cerveja. Que tal montar um roteiro para conhecer a cerveja artesanal catarinense?

0 comentários:

Postar um comentário